Curiosidades sobre o cultivo da cana-de-açúcar no Brasil

Strider lança nova série de vídeos "Por dentro do Agro"
Por dentro do Agro: conheça a nova série de vídeos da Strider
8 de fevereiro de 2017
Reportagem publicada no DCI
Lavouras devem ganhar novas técnicas da Strider
10 de fevereiro de 2017

Curiosidades sobre o cultivo da cana-de-açúcar no Brasil

Brasil é um dos grandes produtores de cana no mundo

Brasil é um dos grandes produtores de cana no mundo

Você sabia que a cana-de-açúcar é uma das principais culturas do mundo? Embora 80% da produção da gramínea esteja concentrada em apenas alguns países, ele é uma importante fonte de empregos no meio rural. Juntos, Brasil e Índia respondem por pouco mais da metade da cana produzida em todo o planeta.

A maior parte das usinas sucroenergéticas brasileiras ficam na Zona da Mata (Nordeste) e no estado de São Paulo (Sudeste). Elas têm uma produção média de 71 kg de açúcar e 42 litros de etanol para cada tonelada de cana processada.

Como estratégia de redução de custos com transporte, as áreas de cultivo de cana-de-açúcar ficam localizadas em um raio máximo de 25 km das usinas. Isso quer dizer que grande parte dos canaviais brasileiros está em São Paulo.

O estado produz cerca de 60% de toda a cana, açúcar e etanol do país. E é justamente lá que será inaugurada a FibraResist, primeira fábrica de papel produzido a partir da palha da cana-de-açúcar.

A iniciativa nasce como um marco tecnológico e uma proposta pioneira no mundo: a de transformar a matéria-prima (que é abundante no estado) em pasta mecânica celulósica 100% sustentável para fabricação de papéis e embalagens.

Fruta, legume ou raiz?
Por sua forma vernacular, a cana-de-açúcar é considerada uma “gramínea” – termo derivado da palavra “gramina”, usado para designar plantas que são semelhantes à grama.

Para que se cultiva tanta cana-de-açúcar no Brasil?
A primeira palavra que nos vem à mente quando falamos de cana é o açúcar. Em 1994, com o começo das exportações do alimento, o mercado se aqueceu, mas mesmo assim, esse não é o principal produto da cana.

O álcool que é extraído do vegetal, principalmente o etanol, é mais rentável economicamente. Em 1975, com a criação do programa Proálcool, a produção da cana passou por um salto de pouco menos de 100 milhões de toneladas por ano para cerca de 220 milhões. Em 2007, com o sucesso dos veículos flex, a produção teve mais um crescimento considerável para atender à demanda de álcool hidratado.

O etanol representa atualmente uma fonte de combustível alternativo e contribuiu para o desenvolvimento sustentável do planeta.

A cana-de-açúcar também é utilizada para consumo pelo gado no pasto, e para fabricação de alimentos como a rapadura, aguardente e o melado.

Expectativa para os próximos anos
De acordo com a consultoria agrícola independente Datagro, a safra de cana-de-açúcar crescerá para 661 milhões de toneladas nas regiões Norte e Nordeste do Brasil em 2017/18. O número é 1,1% maior na comparação com os 605,5 milhões de toneladas dos dois anos anteriores.

Os dados mostram ainda que o mix na próxima temporada deve ficar em 47,4% da oferta de matéria-prima para açúcar. Por isso, a fabricação do alimento deve aumentar 3,3% para a safra do período.

Gostou do texto? Leia mais sobre o universo agro no Blog da Strider e nos acompanhe nas redes sociais em Facebook, Instagram, LinkedIn e Youtube.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *